King's Ametyst veleiro Polaco de 1974

A certa altura da minha infância, achava que já era suficientemente marinheiro, tanto pelo tempo passado junto ao Tejo, como pelo observar de pescadores.
O Ametista, veleiro de madeira, foi o melhor para iniciar a aprendizagem de mar, não me refiro à arte de marear com a técnica e primor conseguido por competidores modernos, mas sim, ao motor que se avaria por ser velho, à sonda que parece saída de um filme antigo e à água que brota por entre o costado. Percebi o porquê das epopeias e tragédias em livros náuticos, mas sei que as minhas não passaram do Tejo e costa Portuguesa.
O Ametista ainda flutua e, digo-vos, está de cara lavada e bem mais bonito que os seus semelhantes modernos.