Julho Agosto e Setembro de 2010

Honolulu - Tóquio - Tanegashima - Icheon - Seul - Shangai - Macau, a bordo do navio escola Sagres.

A partida está programada para 4 de Julho, no dia da independência despeço-me do Havai, EUA e rumo para o Oriente.
Eu, cidadão-civil, que nem isso sei bem o que significa, embarco por dois meses no Navio da Republica Portuguesa Sagres, uma barca. A curiosidade e ânsia pela descoberta do Pacífico e chegada ao Oriente prosperam.
Em Tokio celebra-se o 150º aniversario do Tratado de Paz, Amizade e Comércio entre Portugal e o Japão. Mais a Sul, Tanegashima, comemora-se a festa da espingarda. Fernão Mendes Pinto desembarcou nesta ilha, e com ele o Arcabuz, a primeira arma de fogo vista no Japão, esta acelerou o fim das guerras feudais e unificou o Japão. Na China, aportamos na cidade dos 20 milhões de habitantes, cidade da Expo 2010, Shangai.

Após Macau, assento os pés em terra e deixo-me levar pelos transportes locais. A partir do viajante e cronista Gonçalo Cadilhe, despeço-me da China pela província montanhosa de Yunnam e atravesso Laos a caminho de Bangkok, viagem descrita no seu livro, Planisfério Pessoal.
Esperam-me 6 mil milhas náuticas e 2 mil metros quadrados de pano sob o comando do Capitão de Fragata Proença Mendes. Aceito desafios e ideias, levo cerâmica para entregar no Oriente, um livro para ler e outro em branco, uma pentax e vários rolos de slides.